Ministério da Cultura, Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, VIVO e BNDES apresentam

Notícias

Egberto Gismonti, homenageado e atração do 54º Festival Villa-Lobos 03.11.16

Egberto Gismonti, homenageado e atração do 54º Festival Villa-Lobos

Grande homenageado da 54ª edição do Festival Villa-Lobos, o compositor, arranjador e multi-instrumentista Egberto Gismonti é também uma das atrações da noite de abertura do evento, nesta sexta-feira (4/11), às 20h, na Sala Cecília Meirelles. A apresentação contará também com a Camerata Romeu e as participações do clarinetista Batista Júnior (integrante do Trio Paineiras e do Abstrai Ensemble) e da violinista Ana de Oliveira, spalla da Orquestra Sinfônica Nacional/UFF.


“Tenho uma relação especial com Villa-Lobos. Em 1985, lancei o álbum ‘Trem caipira’, com versões livres de suas músicas, e o trabalho rendeu um disco de ouro”, afirma Gismonti, em matéria recente do jornal O Globo (clique aqui para ouvir o disco na íntegra). “A organização topou que eu levasse a minha visão para o palco ao lado da Camerata Romeu, com quem toco há mais de dez anos.”


Formada por jovens mulheres, a Camerata Romeu é oriunda de Havana (Cuba), onde foi criada pela regente Zenaida Romeu em 1993. Desde então, consolidou-se como polo formador de instrumentistas e como atração em palcos do mundo todo. No Teatro Amadeo Roldán, em Havana, um recital com Egberto Gismonti rendeu belos momentos como os desses dois vídeos, nos quais interpretam duas composições de Gismonti: “7 anéis” e “Dança dos escravos”.


Egberto participa da 54ª edição do Festival Villa-Lobos em outras três ocasiões: com um workshop sobre arranjo e composição (dia 12, na Escola de Música Villa-Lobos), numa mesa redonda durante a Mostra Cine Brasil (dia 14, no CCBB) e com o concerto de encerramento (dia 15, na Sala Cecília Meirelles). Segundo o diretor artístico do festival, Marcelo Rodolfo, é a primeira vez que o evento terá o homenageado abrindo e fechando a programação.